EM DEGRADÉ…

janeiro 31, 2011

>

EM DEGRADÉ

Algumas preciosidades morrem baixinho, em dégradé. Como morrem as tardes. Como morrem as flores. Como morrem as ondas. Quando a gente percebe, já é noite e o céu, se está disposto a falar, diz estrelas. Quando a gente percebe, as pétalas já descansam o seu sorriso no colo do chão. Quando a gente percebe, o canto da onda já enterneceu a areia. Muitas dádivas que nos encontram, que nos encantam, têm seu tempo de viço, sua hora de recado, e seu momento de transformação em outro jeito de lindeza.

A noite também é bela do jeito dela. As pétalas caídas viram húmus para fertilizar o solo que dirá a vez de outras flores sorrirem. A areia molhada conta a canção da onda e da sua acolhida terna para a nossa vida descalça. Lutar contra a impermanência da cara das coisas é feito tentar prender o azul macio das tardes, segurar o viço risonho das flores, amordaçar as ondas. É inútil.

Costumamos esquecer que não podemos impedir a mudança: tudo dança a coreografia sábia e implacável da impermanência. Mas a música daquilo que verdadeiramente nos toca com amor, não importa o quanto tudo mude – e tudo muda -, não deixa nunca mais de tocar e viver, de algum jeito, no nosso coração.

Ana Jácomo

Anúncios

In Our Small – Cartão Michael

janeiro 30, 2011


>In Our Small Way – Cartão Michael

janeiro 27, 2011

>


>A arte de fazer amor com você

janeiro 25, 2011

>

A ARTE DE FAZER AMOR COM VOCÊ

Nos (bons) tempos do rebolado de Elvis, a música branca descobriu que precisava se casar com a música negra. Nascia o bom e velho rock’n roll que, diziam, devia ser feito com uma mão branca e uma negra. A mão negra trazia, com seu ritmo, a sexualidade para dentro da música. A mão branca parece que ainda não se sabe bem ao certo o que acrescentou, além dos rostinhos que a mídia preferia ver, mas, bem, isto é outra história.
Hoje, vamos falar de sexo.
O que aconteceu conosco nas últimas décadas? Certamente, mudamos muito, pois, partindo do medo da música e da dança venenosa dos negros, chegamos ao ponto em que a música nem interessa mais face ao sexo. Ela é só a embalagem da sensualidade. Maior símbolo disso é Madonna, afinal, quando você ouve este nome, o que lhe vem à mente em primeiro lugar, música ou sexo? Às vezes, até esquecemos que ela canta. Sua sucessora natural, Britney Spears, aprendeu rápido que, por mais hipócrita e conservadora que seja a sociedade americana, o único meio de continuar no mercado era comercializando sua sexualidade. A bem da verdade, ela sempre soube disso, pois, desde os tempos em que bancava a colegial virgem, não havia inocência, a não ser para ser vendida a marmanjos doentios que, em suas fantasias mais obscuras, preferem menininhas a mulheres.
Mas nem sempre o sexo se sobrepôs à arte e se transformou em mercadoria. Não era para ser assim! Houve um tempo em que o sexo era apenas um modo de ser, uma forma de expressão, da arte. E esses tempos de Elvis e sua pélvis censurada não estão mortos.
Pelo menos não enquanto existir um rebolador chamado Michael Jackson. É fácil perceber o que há em comum entre esses dois mitos, não?

Quando estão atuando, o orgão sexual de cada um parece um centro de onde emana uma espécie de energia que alimenta o show e contagia o público, levando-o a um alto grau de excitação. É fácil perceber o envolvimento erótico de ambos com a música. Certamente, não teriam se tornado mitos sem este envolvimento que os difere de figuras mais insípidas como os Beatles, por exemplo, a quem faltou a mão negra.

O envolvimento de Elvis e Michael com a música é sexual, mas isto com tal naturalidade que o erotismo não impediu Elvis de se tornar um mito da família americana e não apenas dos jovens, sempre mais liberais. Quanto a Michael Jackson, a família sempre se divertiu com seus gestos “obscenos”. Michael se diz um escravo do ritmo para justificar os gestos, mas nem precisava, porque todos já compreendemos. A performance é um ato sexual entre ele e a música que envolve a todos, e, naquele momento, todos compreendem.

Não há o que censurar porque Michael sequer é um sex simbol. Ele não usa o sexo para prostituir a música, mas sim para fazer amor com ela. Na contramão de todas as outras estrelas, sua imagem aparece como assexuada para a maior parte do público, sendo que para uma grande parcela nada parece menos sexualmente atraente do que Michael… fora do palco! No palco, Michael nos leva de volta ao tempo em que brancos espiavam de fora as festas negras sem saber ao certo o que estava acontecendo durante a música.

Seria uma orgia?Mas depois que Elvis abriu a porta da festa, Michael nos convidou a entrar e sentir a música em sua plenitude, ou seja, até mesmo de um modo físico.

Agora você entende por que as garotas desmaiam durante concertos de Michael Jackson mesmo que ele não tenha a carinha de um vocalista de boy band, não é?Agora você entende por que mesmo os fãs heterossexuais do sexo masculino costumam confessar, ainda que embaraçados, que sentem a sensualidade que vem dele?

Ou você vai dizer que nunca sentiu? Calma, não precisa se constranger, tudo que você sentiu foi a arte usando o corpo dele para tocar você da forma mais íntima. Relaxe e aproveite!

por: Andréa Luisa Bucchile Faggion
FONTE: MJBEATS/EDICHYS


>O que eles não querem que você saiba sobre Michael Jackson

janeiro 25, 2011

>

O que eles não querem que você saiba sobre Michael Jackson

O que você pensa quando escuta o nome Michael Jackson? Doido? Criminoso? Grande artista? Empresário? Tudo o que você pensa sobre Michael Jackson deve ser jogado janela afora neste momento, e vamos examinar alguns fatos. Por anos a mídia tem o rotulado como “Jacko Doido”. O que aconteceu com MJ? Não era ele a maior coisa da música durante um tempo? Quando é que ele ficoulouco? Tudo que temos que fazer é observar quando foi que o Michael começou a ser tratado como “Louco”. Não foi na época de “Thriller”. É maneiro ser um cantor e dançarino. É isso que eles querem. NÃO OUSE SE TORNAR UM EMPRESÁRIO PENSANTE. NÃO OUSE COMPRAR O CATÁLOGO DOS BEATLES. NÃO OUSE CASAR COM A FILHA DO ELVIS. NÃO OUSE BATER A INDÚSTRIA DE DISCOS NO SEU PRÓPRIO NEGÓCIO. Michael começou a ser taxado de louco quando ele começou a dar passos em negócios aonde nem outro havia tido sucesso antes. Michael pegou dois ícones culturais e os estilhaçou em pedaços. Durante todas nossas vidas, fomos bombardeados com 2 fatos. Os Beatles eram o melhor grupo detodos os tempos e o Elvis era o Rei do Rock’n Roll. Michael comprou os Beatles e casou com a filha do Elvis (se isso não é literalmente provocar o homem). Se eu não fosse um cínico, eu diria que Michael se meteu com Lisa Marie apenas praprovocar as pessoas que consideram Elvis o Rei. Os Beatles foram grandes, mas eles não foram grandes o suficiente para manter os direitos de publicidade de suas próprias músicas. Elvis foi grande, mas ele não escrevia suas músicas. Seu empresário, Col.TomParker era a mente brilhante por trás de Elvis… mantendo-no drogado com remédios legais e cuidando de toda sua papelada. Não havia como Michael errar enquanto artista. “Off the Wall”,primeiro artistasolo com 4 músicas nas 10 mais. “Thriller” o disco mais vendido de todos os tempos, então com 7 músicas nas 10 mais. “Bad”, o primeiro álbum com 5 músicas estreando em primeiro lugar (até Thriller só conseguiu isso com 2 músicas). Tudo isso é legal. Mas isso é tudo que é pra voce fazer de bom. CANTAR E DANÇAR. Michael queria ser grande. Ele comprou o lendário catálago de Sly and the Family Stone mas ninguém deu a mínima. Quando ele comprou o dos Beatles, as pessoas notaram A fusão Sony queria parte do bolo. A vontade da Sony em ter parte do catálogo dosBeatles, fez com ela concordasse com uma fusão de 50/50 com Jackson,formando o catálogo de música Sony/ATV. Agora o Michael, co-possui metade de todo o catálogo de todos os artistas da Sony. Cheque a lista completa de músicas no sonyatv.com Uma amostra dos direitos das músicas que ele possui estão em mais de 900 países com artistas como Tammy Wynette, Kenny Rogers, Alabama. Todas as músicas escritas por Babyface. Músicas latinas como as de Selena e Enrique Iglesias. Músicas de Roberta Flack, Mariah Carey, Destiny Child’s, 2pac, Biggie e Fleetwood Mack. Em resumo, mais de 100.000 músicas.”O que este homem está fazendo?” Nenhum dos grandes fez isso. Nem Bono, Springsteen, Sinatra. “Quem ele pensa que é?”. “Pegue tudo o que puder dele”Para “pegar” alguém, você tem que atacar o que eles amam mais.
Eu não vou dizer mais nada sobre isso. O único homem que se aproxima de MJ em provocar a indústria é Prince, e em menor grau, George Michael. Eles foram atrás do pobre George Michael, rotulando o cara como homosexual. Prince lutou duro e manteve seu ponto, mas ainda assim teve que recorrer a uma grande compania para distribuir seus materiais. Não há nada de errado com isso. Prince ficou com a maior parte, mas o resultado foram anos sendo rotulado como louco e difícil. O melhor momento para eles foi na conferência de impressa de Sneddon. “Nós o pegamos” Nunca houve tanto regozijo tão evidente. Quem se importa se temos ou não evidências? Michael foi inocentado, não comemorou, foi pra casa e foi embora dos EUA. O melhor movimento possível. Agora o que sobrou para os odiadores fazerem? Ele se foi. “Se foi, o que vc quer dizer com ele se mudou pro Bahrain? Bem, como diabos vamos pegá-lo se ele não está aqui? Rápido, pegue aquele colunista para escrever uma série de artigos de como MJ esta chegando à beira de uma destruição. OH, nós fizemos o que? Bem, o que podemos fazer? “Do outro lado, parece que Michael não está fazendo nada para fazer dinheiro.Nem conte as vendas semanais dos CDs dele. 15.000 CDs por semana não é nada para um Michael. O catálogo da Sony/ATV dá dinheiro para Michael cada vez que ele respira. Muito dinheiro. O fato de ninguém informar sobre o montante exato é a prova disso. Eles preferem que você acredite que MJ está falido do que lhe dizer a verdade. MJ ainda é dono da Neverland. A casa da família em Encino é do MJ. Michael ainda é proprietário das músicas dos Beatles através da fusão com a Sony assim como a propriedade total de todas as suas músicas. Mas, ei, esse é nosso pequeno segredo.Michael Jackson está literalmente andando nos sapatos que nenhuma outra pessoa negra jamais andou. Se ele escrever uma autobiografia, será a mais interessantede todas. Um homem negro sem nenhuma educação formal se torna o mais poderoso homem na indústria APESAR do ódio, racismo, inimigos em seu próprio meio e um midia pronta para fazer seu leilão. Se a Sony tivesse algum senso, eles se ofereceriam para continuar com a parceria. É o único jeito de eles fazerem dinheiro futuro com o catálogo do Michael. TommyMottola não perdeu seu emprego porque foi um mau empresário de seu selo. Foi uma guerra casual. MJ o expôs e a Sony teve que cortar suas perdas.
As companias fazem isso o tempo todo. PRESTE ATENÇÃO que ninguém da Sony nem o próprio Matolla JAMAIS processaram MJ por calúnia. Michael sempre foi leal aos seus chefes na Epic/Sony. No Grammy de 1984, ele até levou o chefe do selo Walter Yetnicoff no palco num determinado momento. Ele sempre agradeceu Dave Glew, Mattola e outros da Sony nos seus discursos de agradecimento. A Sony ainda pode fazer o certo pelo Michael, mas talvez seja tarde demais. Entretanto, eles ainda podem fazer um gesto de boa vontade, mas quantas vezes homens de negócios fazem isso? Se eu fosse eles, ainda ia querer MJ como aliado, não como inimigo. Essa é/foi uma fusão rendosa. Eu estaria morrendo de medo se eu fosse um inimigo de MJ enquanto ele está com multi-bilionários além dos mares. Acredite em mim, eles não está lá apenas discutindo design de roupas. Um conglomerado está sendo construído. Uma última nota, esses fatos que eu escrevo aqui não deveriam ser a única vez que você vai ler, mas o fato triste é que provavelmente vai ser.
Eu temia que o Michael fosse lesado pelo júri. Isso seria jogar sujo. Se eu estou mostrando esses fatos nesse site VOCÊ PODE TER CERTEZA QUE A MÍDIA SABE DISSO MUITO BEM. Ninguém fala de MJ só porque ele fez “Thriller”. Eles sabem o que se passa.Pense nisso.É por isso que eu rio quando vejo shows como “The Ultimate Hustler” da BET. Todos nós sabemos quem é. (Como é que pode Damon Dash saber quem é o “ultimate hustler”afinal? Ele perdeu o rock-a-fella para Jay-Z) No final, Michael não será conhecido por ser alguém acuso de molestar crianças. Nem por ter feito “Thriller”. Ele será conhecido como o homem que lutou com a indústirada música e ganhou e viveu para contar sua história.

Autor Diogo Malimpense

http://juventudealucinada.com/blogs/blog1.php/2008/11/05/o-que-eles-nao-querem-que-voce-saiba-sob


>Cartão – Michael

janeiro 23, 2011

>

Michael is the change!!!
Michael The King Of Pop!


>Sonhe… Cartão Michael

janeiro 17, 2011

>